Der Chaosknoten Chaos Computer Club e.V.

          suche

ist das Logo des CCC
Deutsch English


Maior congresso de "hackers" da Europa inicia amanhã

26. Dezember 2006 (caj)

De 27 a 30 de dezembro, ocorre na capital alemã Berlim o 23º "Chaos Communication Congress" (23C3), evento que com aproximadamente 3 mil participantes nos anos recentes consagrou-se como o maior encontro europeu de hackers e de pessoas interessadas na cultura hacker, abrangendo temas que vão muito além da simples informática e segurança, como: a influência da tecnologia na sociedade, armazenamento de dados e privacidade, passaportes e identidades digitais, voto eletrônico, questões legais e filosofia. Paralelamente ao congresso haverá encontros de participantes de diversos projetos de caráter político e projetos relacionados ao software livre.

O evento é organizado pela ONG "Chaos Computer Club" (www.ccc.de) e contemplará os participantes com 130 palestras e 20 oficinas, a maioria delas em inglês, uma área-laboratório para a troca de idéias entre desenvolvidores de hardware e software e experimentos práticos, bem como um rico programa cultural e artístico.

Convém observar que o termo "chaos" não significa uma homenagem à simples desordem, mas sim ao potencial criativo inerente àquilo que não está organizado, como por exemplo no momento do "big bang". Já a definição "oficial" do termo hacker, que teve suas primeiras origens entre rádio-amadores estadunidenses nos anos 50 e programadores do laboratório inteligência artificial do instituto MIT nos anos 60, é o sujeito que tem um conhecimento excepcional à respeito de algum assunto, por exemplo determinado equipamento ou tecnologia, habilitando-o a criar coisas novas, enquanto que para as pessoas que utilizam o conhecimento de forma anti-ética, existem termos específicos como "cracker", "black hat" ou "script kiddie", infelizmente pouco empregadas pela mídia. Um exemplo famoso de um hacker "do bem" é Linus Torvalds, criador do software livre Linux, uma alternativa gratuita para o sistema operacional Windows.

Um outro exemplo são hackers que tem prazer em expôr publicamente falhas de segurança presentes em softwares como por exemplo os fabricados pela Microsoft, apesar desta empresa possuir um orçamento de desenvolvimento bilionário. Desta forma, os hackers obrigam os fabricantes a disponibilizarem atualizações de segurança, o que acaba por beneficiar toda a sociedade, pois a informática cada vez mais repercute em nosso dia-a-dia, direta- ou indiretamente.

Hackers querem proibir voto eletrônico

O lema do 23º congresso é "Em quem você pode confiar?". No caso das urnas eletrônicas, um dos tópicos mais importantes a serem debatidos no evento, a resposta dos hackers alemães e holandeses é um claro "não", pois temem que sejam utilizadas para fraudes em grande escala sem deixar vestígios materiais e sem a possibilidade da recontagem dos votos. Em outubro deste ano os mesmos demonstraram a falta de segurança com uma urna da empresa Nedap, que até então alegava que não seria possível adulterar o software de suas urnas.

A polêmica fez com que em apenas seis semanas mais de 45 mil pessoas peticionaram junto à câmara dos deputados alemã, visando a proibição de urnas eletrônicas, apesar de que as mesmas até agora só foram usadas em algumas cidades na Alemanha.

Já nos atuais debates técnicos internacionais, o único tipo de urna eletrônica tido como suficientemente segura contra fraudes, em tese, é aquela que também imprime o voto e permite a conferência do voto impresso pelo eleitor. Além disto, sempre será necessária a apuração manual dos votos impressos, para verificar se o resultado corresponde àquele computado pela urna eletrônica, que poderia estar programada para desviar votos e beneficiar determinado candidato, por exemplo.

Palestras estarão disponíveis para download

A exemplo do ano passado, o congresso será filmado e disponibilizado gratuitamente para download. Entre os palestrantes de renome internacional estão John Perry Barlow, um dos fundadores da "Electronic Frontier Foundation (EFF)" que defende os direitos dos cidadãos e a livre expressão na Internet, e Larry Lessig, professor na universidade de Stanford, autor de diversos livros e fundador da "Creative Commons Initiative", que popularizou uma interessante alternativa à tradicional forma de lidar com direitos autorais.

A relação completa das palestras está disponível em http://events.ccc.de/congress/2006/Fahrplan. Uma pequena seleção eclética dos temas: "Como instalar Linux em consoles de videogame", "Gerenciamento colaborativo do conhecimento na área da educação", "A revanche das mulheres nerds", "Como montar sua emissora de TV digital", "O caos e a teoria crítica" e "Como funciona a censura digital que já está ocorrendo em larga escala na internet". Os vídeos das palestras de 2005 podem ser baixadas em http://events.ccc.de/congress/2005/fahrplan.en.html

Mais informações a jornalistas

Estamos à disposição através do e-mail 23C3@via-rs.net (em português) ou 23C3-press@cccv.de (em inglês e alemão) ou através dos telefones +49 176 2921 5533 (em português) ou +49 157 7382 4267 (em inglês e alemão).

A imprensa é bem vinda no congresso, mas pedimos que jornalistas se registrem. Mais informações podem ser encontradas em http://events.ccc.de/congress/2006/Press. Dia 27, às 9:30 horas, haverá uma entrevista coletiva à imprensa.

Por favor nos avise quanto a uma eventual publicação para que possamos incluír o seu veículo de comunicação na página http://events.ccc.de/congress/2006/Press_Review


Kabelsalat ist gesund.